RECICLAGEM ENZIMÁTICA
RECICLAGEM ENZIMÁTICA

RECICLAGEM ENZIMÁTICA

This article is also available in: fr | en | es |

NUNO

MICHELIN E CARBIOS DÃO UM PASSO EM FRETE RUMO AO PNEU 100% SUSTENTÁVEL

CARBIOS, entidade francesa pioneira no desenvolvimento de soluções industriais dedicadas à reutilização de polímeros plásticos e materiais têxteis, e a Michelin, líder em mobilidade sustentável, completam uma nova etapa no sentido de alcançar o pneu 100% sustentável, ao aplicar o processo de reciclagem enzimática desenvolvido pela Carbios para obter fibras técnicas de PET utilizadas no fabrico de pneus.

Reciclagem enzimática: um processo revolucionário

O processo de reciclagem enzimática desenvolvido pela Carbios recupera resíduos plásticos ou têxteis, como garrafas, tabuleiros, vestuário de poliéster, etc., para convertê-los em PET. Baseia-se numa enzima capaz de despolimerizar de modo específico o PET contido nestes resíduos. Esta inovação permite a reciclagem infinita de todos os tipos de resíduos de PET, assim como a produção elaboração de produtos PET 100% reciclados e 100% recicláveis, com a mesma qualidade como se fossem produzidos com PET virgem.

Estreia mundial: aplicação da reciclagem enzimática de PET nos pneus

OS processos convencionais de reciclagem termo-mecânica de plásticos compostos não permitem obter o elevado rendimento necessário para as aplicações destinadas a pneus. Após serem repolimerizados como PET, os monómeros derivados do processo desenvolvido pela Carbios, procedentes de resíduos plásticos coloridos ou incolores (garrafas, frascos, etc.), permitem obter uma fibra de alta resistência que cumpre com as exigências da Michelin.

A fibra obtida tem a mesma qualidade que uma fibra técnica de PET primário procedente do petróleo, e é especialmente adequada para o fabrico de pneus, devido à sua resistência à rutura e à sua estabilidade térmica. Deste modo, o processo de reciclagem enzimática da Carbios permite à Michelin responder em parte aos seus objetivos, e introduz os pneus numa autêntica economia circular.

Em resultado de um ambicioso plano, a Michelin comprometeu-se a alcançar 100% de materiais sustentáveis (de origem natural renovável ou reciclados) no fabrico dos seus pneus em 2050, chegando já a 40% a partir de 2030.

Plástico para reciclar — Source: Michelin

Potencial do processo da Carbios confirmado

Estas importantes etapas constituem uma estreia mundial, que confirma o potencial do processo desenvolvido pela Carbios para inserir la indústria numa transição responsável no sentido de um modelo de economia circular sustentável.

Todos os anos são comercializados, em todo o mundo, 1.600 milhões de pneus para automóveis de turismo. As fibras PET empregues na produção destes pneus, contando com todos os fabricantes, representam 800.000 toneladas anuais.

A médio prazo, existe um potencial de cerca de 3.000 milhões de garrafas de plástico que poderiam ser recicladas anualmente em fibras técnicas para fabricar pneus Michelin.

Nicolas Seeboth, Diretor de Investigação de Polímeros da Michelin: «Estamos muito orgulhosos por sermos os primeiros a produzir e testar fibras técnicas para utilização em pneus, assim como reforços derivados de garrafas, fazendo uso da tecnologia dos nossos parceiros da Carbios. Estes materiais de alta tecnologia deram mostras da sua capacidade para oferecer prestações idênticas às dos obtidos a partir de recursos petrolíferos

Alain Marty, Diretor Científico da Carbios: «Em 2019, anunciámos a produção das primeiras garrafas de PET com 100% de Ácido Tereftálico Purificado (rPTA), obtido a partir da reciclagem enzimática de plásticos usados. Hoje, juntamente com a Michelin, demonstramos o alcance do nosso processo, ao obter PET reciclado a partir desses mesmos plásticos usados que se adapta às fibras altamente técnicas

Comentários